segunda-feira, 17 de abril de 2017

Bruschetta Caprese

Hoje eu trago uma deliciosa  sugestão  de Bruschetta caprese,uma ótima  opção para quem não come carne .






 Bruschetta Caprese

Ingredientes
1 xícara (chá) de azeitona Azapa picada (150g)
1 colher (sopa) de azeite (8g)
1 embalagem de Torrada Tradicional (160g)
2 tomates grandes em fatias (16 fatias)
4 bolas de mussarela de búfala grandes, cortadas em 4 em fatias cada (200g)
16 folhas de manjericão

Modo de Preparo:

- Em uma tigela coloque a azeitona, amasse com um garfo, acrescentando aos poucos o azeite. Misture bem para que os dois ingredientes sejam incorporados e reserve.

- Sobre cada torrada acomode uma fatia de tomate e, por cima, uma fatia de mussarela de búfala. Decore com a pasta de azeitonas e o manjericão.

Rendimento: 8 porções
Tempo de Preparo: 20 minutos

5º Encontro de Blogueiros


Hoje eu venho falar como foi o 5º Encontro de Blogueiros  São Paulo e Interior que  hoje é nacional .
O evento aconteceu no dia 1 de abril,na faculdade Anhanguera,no campus de  gastronomia ( detalhe eu também estudo lá e faço educação física,ela é a MELHOR  FACULDADE  DE S.PAULO  ).

 O evento foi muito  bem organizado  por Sadhia Hage do blog  Artes  da Sadhia na cozinha e  pela Cássia Sofiati do  blog Raspa do Tacho.

Foram mais de 50 empresas  que participaram esse ano.Esse ano tivemos 120 blogueiros e o evento  passou até mesmo na televisão de S.Caetano.Foi muito  legal mesmo
Parabens ás organizadoras Sadhia e Cássia pela organização e empenho,o evento estava sensacional.
Veja algumas  fotos do evento.







































 Gostaria de  parabenizar as  organizadoras do evento  e a faculdade  por ter nos recepcionado tão bem .
Foi  um dia inesquecível de muito aprendizado.

Gostaria de agradecer a cici do blog C de CICI  por ter disponibilizado  sua foto da  faculdade e  as demais  fotos são do Gabriel Rocha Melo,que fez  especialmente  para o encontro.

Em breve venho mostrar mais sobre os kits e sobre o evento .









sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Camden House promove Festival do Gim



O mixologista da casa, Paulo Cesar Corghis, criou cinco receitas exclusivas de drinques para o Festival do Gim preparadas com o destilado. Crédito das fotos: Mario Rodrigues.


A fama é inglesa, mas a origem do gim vem da Holanda. A bebida mais famosa do mundo foi criada pelo médico Francisco de La Boe, no século 17. A finalidade era criar um medicamento para doenças renais feito à base de zimbro. A fruta tinha conhecidas propriedades diuréticas. O remédio não deu certo, mas a bebida se tornou um sucesso pelo mundo afora. Foram os ingleses que, ao descobrirem a bebida, a adoraram e encurtaram seu nome para gin  (genever, zimbro em holandês, genièvre, em francês, e ginepro, em italiano). No início do século 18, com a ameaçada dos destilados holandeses e dos vinhos franceses, a Coroa Britânica começa a restringir as importações, passando a proteger a produção inglesa. Com essa medida, houve o aumento da produção do gim britânico, tornando-o o mais famoso do mundo.

Sofisticado, o gim é uma bebida destilada feita à base de cereais neutros – com presença obrigatória da frutinha chamada zimbro, de cor azul-esverdeada, altamente aromatizada, original de um arbusto cultivado no norte da Itália, Croácia, Estados Unidos e Canadá. Há pelo menos 5 variedades de gim: Genever (o tradicional holandês), Old Tom (mais adocicado), Plymouth (produzido no Sul da Inglaterra, extremamente aromático), Sloe (leva infusão de ameixas bravas, as sloeberries, o que lhe confere um tom avermelhado) e London Dry (seco e incolor). O gim pode ser apreciado puro ou em drinques.

O mixologista da casa, Paulo Cesar Corghis, criou cinco receitas exclusivas de drinques para o Festival do Gim preparadas com o destilado. Crédito das fotos: Mario Rodrigues.


A fama é inglesa, mas a origem do gim vem da Holanda. A bebida mais famosa do mundo foi criada pelo médico Francisco de La Boe, no século 17. A finalidade era criar um medicamento para doenças renais feito à base de zimbro. A fruta tinha conhecidas propriedades diuréticas. O remédio não deu certo, mas a bebida se tornou um sucesso pelo mundo afora. Foram os ingleses que, ao descobrirem a bebida, a adoraram e encurtaram seu nome para gin  (genever, zimbro em holandês, genièvre, em francês, e ginepro, em italiano). No início do século 18, com a ameaçada dos destilados holandeses e dos vinhos franceses, a Coroa Britânica começa a restringir as importações, passando a proteger a produção inglesa. Com essa medida, houve o aumento da produção do gim britânico, tornando-o o mais famoso do mundo.

Sofisticado, o gim é uma bebida destilada feita à base de cereais neutros – com presença obrigatória da frutinha chamada zimbro, de cor azul-esverdeada, altamente aromatizada, original de um arbusto cultivado no norte da Itália, Croácia, Estados Unidos e Canadá. Há pelo menos 5 variedades de gim: Genever (o tradicional holandês), Old Tom (mais adocicado), Plymouth (produzido no Sul da Inglaterra, extremamente aromático), Sloe (leva infusão de ameixas bravas, as sloeberries, o que lhe confere um tom avermelhado) e London Dry (seco e incolor). O gim pode ser apreciado puro ou em drinques.